Sadismo é a obtenção de gratificação sexual ou a tendência para obter gratificação sexual ao infligir dor ou abuso emocional a terceiros. Um indivíduo que tira prazer do sadismo é denominado sádico.

Leptosadismo refere-se a um sadismo leve (do grego leptos, pequeno).

DERIVAÇÃO DO TERMO SADISMO

O termo sadismo é derivado especificamente do Marquês de Sade (1740-1814), um soldado e escritor francês. Desde o tempo em que era um jovem da nobreza, de Sá envolvia-se com prostitutas e desenvolveu um gosto por perversões sexuais.

Foi preso várias vezes pelo seu abuso de prostitutas e libertinagem excessiva. Depois de chegar ao Bastille em 1784, de Sá começou a escrever romances eróticos, nos quais ele dava expressão total às suas fantasias sexuais. O seu romance mais famoso foi Justine (1787). As suas obras são conhecidas pelas suas descrições gráficas de perversões sexuais.

Os últimos anos do Marquês de Sá foram passados no manicômio em Charenton, onde escreveu peças de teatro para os seus colegas encenarem. A sua compulsão pelo abuso sexual e físico deu lugar ao conceito de sadismo.

RELAÇÃO COM BDSM

Dentro da comunidade BDSM, o Dominador é muitas vezes o sádico, e o submisso e geralmente o masoquista (que encontra prazer na dor recebida). Também na comunidade BDSM, ao contrário da maioria das descrições sociais adotadas pelas comunidades médicas e psicológicas, o sadismo é geralmente aceito como uma forma de expressão saudável de infligir dor de forma segura, sensata, e consensual a um masoquista que procura tais atividades como forma de libertação emocional ou prazer sexual.

CATEGORIZAÇÃO PSICOLÓGICA

A classificação de sadismo e masoquismo sempre foi separada. O sadismo foi incluído no DSM-I (Diagnosis and Statistics Manual) em 1952, e o masoquismo no DSM-II em 1968. A psicologia contemporânea continua a identificar o sadismo e o masoquismo separadamente e categoriza-as como a) praticadas como estilo de vida ou b) como condição médica.

No DSM atual, o sadismo e o masoquismo, assim como outras práticas sexuais, são classificados como parafilias.

Desde a publicação do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM) em 1994, o critério atual para o sadismo e masoquismo enquanto parafilia inclui que: “As fantasias, desejos sexuais, ou comportamentos” têm que “causar aflição ou impedimento social, ocupacional, ou noutra área importante de funcionamento clinicamente significante.”

Desde então, os critérios para o masoquismo não foram alterados e indicam que “a atividade tem de ser a única forma de gratificação sexual durante um período de seis (6) meses, e causar aflição ou impedimento social, ocupacional, ou noutra área importante de funcionamento clinicamente significante ou envolver uma violação de consentimento para ser considerado parafilia.”

Os critérios para sadismo sofreram mudanças menores a nível de termos utilizados.

Outra classificação internacional de transtornos mentais, o ICD-10, difere do DSM em alguns aspectos. O ICD-10 combina sadismo sexual e masoquismo, considerado sadomasoquismo, e faz uma distinção mais marcada entre práticas sadomasoquistas consensuais e violência sexual, e sugere que aspetos de sadomasoquismo ocorrem no âmbito de relações sexuais comuns.

Os critérios considerados pelo DSM relativamente a sadismo e masoquismo têm sido criticados como vagos e não-testados em circunstâncias reais. A inclusão de parafilias como um todo no DSM tem sido alvo de debate dentro da área. Uma preocupação prende-se com os critérios ambíguos considerados na distinção entre atividades sexuais comuns e parafilias.

Outros acreditam que a inclusão de muitas parafilias apoia-se em percepções convencionais daquilo que se considera sexualidade normal, e comparam a inclusão de parafilias como sadomasoquismo com a da homossexualidade (posteriormente removida como parafilia).

A última versão do DSM foi publicada em 2013, sem nenhuma alteração referente aos critérios mencionados anteriormente.

CATEGORIZAÇÃO PSICOLÓGICA

Sádicos sexuais

  • Classe I: Tem fantasias sexuais, mas não as pratica;
  • Classe II: Realiza desejos sádicos com parceiros sexuais consensuais (masoquistas ou outros). Categorização de Leptosadismo considerado desatualizado;
  • Classe III: Realiza desejos sádicos com vítimas não-consensuais, mas não magoam nem matam. Pode coincidir com violador do tipo sexual sádico;
  • Classe IV: Realiza desejos sádicos com vítimas não-consensuais, com intuito de magoar seriamente ou matar.


C e n t r a l · Boys | SP

boyscentral@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco + 9 =