Masoquismo é a contra-parte de sadismo, o prazer ou gratificação sexual de sentir dor ou sofrimento infligido. Frequentemente consiste em fantasias sexuais ou desejos de ser espancado, humilhado, amarrado, torturado, ou outra forma de sofrimento, seja para aumentar ou substituir o prazer sexual. Muitos masoquistas só têm prazer quando castigados nem está tanto ligado ao sexo ou penetração, mas sim ao sofrimento em si!

O nome é derivado do nome do autor do século XIX, Leopold von Sacher-Masoch, conhecido pelo seu livro Venus in Furs, que abordava temas altamente masoquistas, que é mais conhecido pelo seu nome artístico Marquês de Sade, uma das suas melhores obras do A Filosofia na Alcova, um homem adorado por muitos, odiado por outros e admirado por milhares.

Em geral, um masoquista não tem prazer com qualquer forma de dor arbitrária, apenas a dor que é sofrida sob o pretexto de imposição de autoridade, tipicamente apenas de natureza sexual. De forma semelhante, um sádico normalmente só tem prazer na dor que é infligida por motivos de punição e controle, muito usualmente para o prazer indireto do masoquista.

Muitas atividades sadomasoquistas envolvem apenas dor ligeira ou desconforto. Frequentemente, estas atividades focam-se principalmente em roleplay, onde os participantes assumem papéis fictícios e sabem desempenhá-los como ninguém.

O termos BDSM foi criado para descrever as atividades masoquistas e entre outras, que têm vindo a ser cada vez mais comuns, entre adultos (com consentimento) que contêm elementos sádicos e masoquistas. Muitos comportamentos, como flagelação erótica e mordidelas, que muitas pessoas consideram apenas “sexo duro”, também contêm elementos de sadomasoquismo.

MASOQUISTAS SEXUAIS/ MASOQUISMO

Masoquistas sexuais são divididos em classes de acordo com o seu comportamento, as suas motivações, e os seus desejos sexuais:

  • Classe I: Tem fantasias, mas não as procura. Pode ser preponderantemente sádico com mínimas tendências a masoquismo e/ou não-sadomasoquista com mínimas tendências masoquistas;
  • Classe II: Igual tendência para comportamento de sadismo e masoquismo. Gosta de sentir dor, mas também gosta de ser o parceiro dominador (neste caso, sádico). O orgasmo é atingido sem dor ou humilhação;
  • Classe III: Masoquistas com mínimas ou nenhumas tendências sádicas. Preferem dor e/ou humilhação (o que facilita o orgasmo), mas não são necessárias para atingir o orgasmo. São capazes de manter uma relação amorosa;
  • Classe IV: Exclusivamente masoquista (i.e. Não consegue manter uma relação amorosa, nem consegue atingir o orgasmo sem dor ou humilhação).

UMA PERSPECTIVA JUNGUIANA SOBRE O MASOQUISMO

Masoquismo é uma arte em que o indivíduo se mantém em extremidade oposicionista. O masoquista vê-se a viver – aparenta viver – in extremis, no limiar do perigo, insanidade, morte. O prazer de um masoquista é extremamente doloroso e a sua dor, extremamente prazerosa. Frequentemente, sentimentos opostos como orgulho e humilhação estão presentes em simultâneo, ambos dolorosos, ambos prazerosos. No seio de tanta extremidade emocional, a necessidade e alimentação do compulso masoquista é claramente, em si, parte da tortura e do prazer. Existe orgulho nesta extremidade, em conseguir manter esta oposição impossível sem quebrar. É um extremo orgulho, um orgulho de extremidade, de ir ao extremo e sobreviver. É um orgulho de proporções prometeicas.


C e n t r a l · Boys | SP

boyscentral@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 1 =